sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mundo Psicodéllico



“Por motivos óbvios como a falta de uma guitarra viva, um baixo intenso ou uma bateria diversa, essa coisa veio como monstro famigerado a comer a cabeça dos novos jovens do mundo, Tuntituntuntunti pra lá e tuntitutuntunti pra lá. O que é isso??”
• Jaboatão dos Guararapes (PE)

Para esta opinião tão sem informação que vi em um site da internet:
Eu conheço um mundo diferente; diferente do mundo da arrogância e da luta pelo status social; onde a festa é ao ar livre, sentindo a vibração da natureza, onde todos são amigos, independente das classes sociais; onde as pessoas se vestem do jeito que mais ás convém.

Estão ali pra sentir a batida de uma música e transmiti-la através da dança, a dança que pode ser de qualquer forma sem ser julgada por ser com ou sem sentido, embora na maioria das vezes seja tão divertido olhar essa forma tão intensa de expressão.

Existem aqueles que usam suas “determinadas” drogas, acredito que para libertar o que está preso dentro de si; ou, claro, infelizmente pelo vício; porém as drogas estão presentes em todos os lugares e em todos os segmentos da sociedade, nas favelas, nas universidades, em qualquer bairro, nas baladas da classe média baixa e principalmente nas altas, sim, nas altas. As drogas estão presentes em todos os ritmos musicas; forró, axé (vejam as micaretas), boates (vejam os mauricinhos revoltados) e não somente nas raves, como é transmitido tão repetidas vezes pela televisão; lembrando que a televisão é o meio de comunicação mais manipulador conhecido, e não sou eu que estou dizendo isso.

Por convicção, acredito que ao menos sei diferenciar que nem todo roqueiro morre de overdose; que nem toda prostituta é soro positivo. Generalizar é tentar igualar. Igualar os seres humanos é algo absurdo, pois como seria nosso mundo se todas as pessoas fossem iguais? Todos possuem personalidades, conceitos e convicções diferentes.

Nesses lugares, geralmente encantadores, as pessoas se deitam no chão e tiram os sapatos quando querem, caem nos chuveiros e se jogam nas piscinas quando dá vontade; ali não há regras de etiqueta, nem luta pela popularidade. A única regra é se divertir e pôr pra fora os seus sentimentos e sensações mais reprimidos, mesmo que ainda hajam pessoas que só seguem o modismo e estão ali só de passagem, ou porque viram na televisão que rave é um lugar propício para usar drogas; os mais conhecidos influenciáveis jovens de cabeça vazia seguidores de modinha.

Ainda que pareça ser só um “tuntiztuntiz”,pra quem entende, sabe que não é, e mesmo que fosse, ninguém é obrigado a gostar e quem gosta , gosta por sentir a sensação de liberdade que as pessoas ao redor passam; não aquela sensação de jovens das baladas da elite que te julgam com os olhos. Todos nós, críticos conscientes, sabemos que ser um profissional da musica eletrônica não é somente mixar, que por si só já é uma arte com alto grau de dificuldade, mas também, não deixar que as pessoas desanimem e que sintam a vibração e a alegria que a música passa, durante a festa inteira.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Jovens Sombras


Máscaras Humanas,
Vagando em meio à multidão
Pessoas desnorteadas
Zumbis perturbados
Na contramão da vida
Muitos em direções invertidas
Pessoas mortas,
Espíritos vivos
Demônios invertidos
Com olhos fechados
Amordaçados
Cogitados
Anjos desenhados
Enfeitiçados pela ilusão
Almas sombrias
Distintas,
em pura melancolia
Sensibilidade apenas física
Descrença, desavenças
Oportunidades perdidas
Auto estima oprimida
Jovens sem formação,
sem caráter,
sem auto piedade,
sem sonhos,
Jovens sombras .

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Meu Eu


Pego - me rindo absurdamente só de pensar em ti;
Sinto-me em êxtase, transe.
Felicidade contínua
Abstenho-me de fluxo negativo, só por tê-lo sempre comigo,
Mesmo que não de corpo, mas de alma, sempre.
Tenho-no em meus pensamentos noite e dia
Protejo-o, mesmo que seja em palavras, já que na força não me é permitido; mesmo também que eu me sinta desprotegida e só teu colo me acalme, porque é nele que encontro o que sempre preciso; carinho.
Teu afago, teu sorriso, te olhar, mesmo aquele de repreensão, eu admiro, incondicionalmente.
És essencial, subjugável; perfeito aos meus olhos, imensurável de qualidades tão distintas.
Único, por ser apenas único e por ser o “meu” único; por me completar, me alegrar e me tranqüilizar nas horas que preciso.
Inestimável
Caixinha de surpresas, sempre boas.
Meu amante, meu amigo.
Meu amor.

domingo, 23 de maio de 2010

Amantes



Ligação recíproca dos corpos
Idéia cogitada, atiçada
Reprimida
Difícil evitar, tão pouco comensurar

Foi cínico, metido
Fascinante; Me atraiu

Tão difícil controlar
Vontade de abraçar
Beijar sem receios
Pegar em teus cabelos

Morde-lo Inteiro!

 

sábado, 17 de abril de 2010




Promiscua;
Insana, louca desvairada
Hipnotizante, meliante
Levo uma vida frustrante
Repleta de erros incorrigíveis
Medíocres pessoas sem limites

Tanto divertimento em vão;
tanto desejo e tesão
Álcool que atiça os instintos
Fúria reprimida
Sede de aventura
Fantasia, Fetiche

Sentimentos expostos
Tão instigante à discórdia
Fome de homem
Insaciável
Atraída pelo perigo
Descontrolada

Tomo uma grande dose de tentação
Sem compromissos
Sem empecilhos
Não sou de ninguém
Sou do mundo que me convêm;
mundo abstrato de opiniões
Me saciando com desejos infames
Orgia, Pecado da carne
Sexo

domingo, 17 de janeiro de 2010


Esculpido de forma tão inteligente
Tornou-se tão influente
Me sinto chantageada a te agradar
És um prêmio que tenho a ganhar
Pessoa fogosa que me incomoda por ser tão irresistível
Não consigo nem olhar em teus olhos, parece me hipnotizar.
Inconcebível, inconfundível, incontrolável
Espectro de tão belo
Jeito arteiro, às vezes complexo
Me sinto um anexo fazendo a diferença no teu cotidiano
Atemorizada fico, quando sinto tua falta
São as emoções, o estômago cheio de borboletas
Malditas borboletas inquietas e desconfiadas!
Autor das próprias histórias
Sonhador escrevendo as linhas tortas do destino
Auto-suficiente a procura de carinho
Posso te prestigiar com meu carinho, as vezes abusivo
Fiquei bêbada de encantamento
Perdi meu auto controle
Estremeci;
Cabeludo compenetrado; metido
Me pegou desprevenida !

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Louca misteriosa;
que desconta a fúria nos papeis através de dedos descontrolados rabiscando emoções
Malvada que espanca a tristeza e ganha força
Azeda torno-me quando o doce enjoa
Sou ácido que corro as feridas intravenosas do coração
Converso com os murmúrios macabros da desilusão
Desesperada de amor reprimido em carne viva
Depressiva compulsiva paranóia insaciável cheia de tesão
Vontade de beijo descontrolado
Desejo histérica ansiosa sensações sem limites
Louca eu seria;
se fosse uma pessoa comum que se afoga ao tomar um chá com a monotonia
Taça cheia de loucura;
Um brinde aos anormais !